domingo, 10 de julho de 2011

Finalmente, responsabilidade

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, disse hoje que “o que este Governo tem para fazer é independente do que as agências de rating vierem a dizer”. Ai é? Isto, sim, é uma novidade: não foi esta a fábula que foi contada até agora. Mas é bom que diga o que diz. Caindo a história de encantar que foi a votos, os troikos deixam de poder escudar as decisões que tomem numa vontade externa. Acabou a desculpa do “nós não queríamos mas somos obrigados”. Tudo o que façam e decidam é da sua inteira responsabilidade. Aliás, como sempre foi e sempre será. É cá uma chatice… A desculpa da vontade dos mercados dava mesmo jeito.

Sem comentários: