quarta-feira, 22 de junho de 2011

Milagres da Saúde de mercado



Este é um milagre apenas possível em países mais desenvolvidos do que nós, onde não existe um sistema público de Saúde posto à disposição de todos, havendo, na sua vez, seguros de saúde apenas ao alcance de alguns. Não era o caso do protagonista desta história. James Verone, 59 anos, não tinha nem seguro de saúde nem dinheiro e precisava de assistência médica urgente. Como tal, planeou um assalto a uma agência bancária, no estado da Carolina do Norte. Entrou com um bilhete na mão onde estava escrito: "isto é um assalto, por favor, quero um dólar". Verone esperou calmamente pela polícia para ser detido. O norte-americano está desempregado e explicou que a sua estratégia passava por ser tratado gratuitamente na cadeia. Comprovadamente, conforme atesta o exemplo, os bancos são um elemento fundamental em qualquer sistema de Saúde.

5 comentários:

P.A. Lerma disse...

o SNS é excelente curiosamente o hospital distrital aqui do sítio

devido à excelência da sua antibioterapia mata mais pessoal hoje do que matava há 30 anos

com injecções de 1 milhão de unidades de penicilina

curiosamente dantes administravam-se medicamentos fora do prazo e funcionavam

agora atiram-se milhões de doses para o lixo meses antes de terminar

dantes irradiava-se o doente só em caso de necessidade

agora por uma dor de cotovelo tiram-se 100 doses de radiografias para fazer um TAC

é necessário dar a impressão que se faz qualquer coisa

se é novo mais cedo ou mais tarde terá uma mutação celular logo mais radiação ou menos tanto faz

se é velho vai morrer de qualquer modo assim sempre pode durar mais umas semanas

e se tiver ADSE irradiar-se fica quase de graça

Filipe Tourais disse...

Estou a ver. O ideal, mesmo, é não precisar da Saúde para nada.

Gi disse...

Vão desculpar-me, mas as injecções de penicilina, que começaram a ser administradas em meados do século XX, são mesmo em doses na casa do milhão ou mais de unidades. É assim mesmo, como outros medicamentos são doseados em miligramas.

Quanto aos Rx, embora seja verdade que por vezes são pedidos em excesso, as doses de radiação são menores do que em épocas passadas, até porque a imagem é intensificada digitalmente.

E sobre o post do Filipe: a saúde, quando deixada inteiramente aos privados, origina estas coisas... O problema está, por outro lado, em arranjar dinheiro para financiar a saúde para todos, mesmo os que nunca descontaram, mesmo os indigentes - e é isso que se discute agora, na situação a que chegámos - e na situação em que estão os Estados Unidos da América.

Filipe Tourais disse...

Exactamente, GI. Sobre o comentário nterior ao seu, estamos de acordo, são enormidades que nem vale a pena comentar. Sobre o arranjar dinheiro para a Saúde dos indigentes, estará a falar da Mota-Engil e outros beneficiários das PPP, dos bancos que não pagam impostos, dos negociantes de submarinos e dos delinquentes do BPN. O nosso dinheiro está a pagar a boa saúde deles. Não pode ser, estamos de acordo. Dava para pagar 10 ou 20 saúdes a todos os restantes.

Gi disse...

É verdade, Filipe: os desgovernos andaram a malbaratar o dinheiro dos contribuintes, mais o que pediram emprestado, e assim se chegou a este estado que de social pouco tem, apesar da gritaria que nos últimos meses fez quem quase o enterrou.