segunda-feira, 13 de junho de 2011

Ler os outros: Democracia (mais ou menos) verdadeira

Num momento em que em muitas portas do Sol se questiona a democracia e em algumas capelinhas da sombra se defende uma reforma do sistema eleitoral com círculos uninominais que acentuariam o bipartidarismo de que já sofremos,Alexandre Abreu deu-se ao trabalho de calcular quantos deputados seriam eleitos num sistema eleitoral com um único círculo eleitoral nacional ao qual, num primeiro cenário, fosse aplicado o método d’Honte e, num segundo, um método segundo o qual a proporcionalidade de votos fosse reflectida o melhor possível na proporcionalidade da distribuição de mandatos. Vale a pena ler o que escreveu sobre esta curiosidade que achei interessante e guardei para um dia como o de hoje, pachorrento.

4 comentários:

Daniel Santos disse...

gostei da terceira coluna.

Anónimo disse...

Seria óptimo termos um círculo eleitoral nacional, isso evitaria "chatices" como a do queijo limiano, uma vez que não haveria ligação dos candidatos às populações locais.

Hugo Fonseca disse...

Por outro lado seria ver os partidos a apostar nas zonas com maiores populacoes e a medidas para as regioes desertificadas seriam zero.

Mais interessante sao os circulos uninominais onde nao se elege uma lista mas sim uma pessoa.

Filipe Tourais disse...

Exacto, Hugo, para ficar tudo ou PS ou PSD. Não acho nada democrático. Eu sou apologista dos círculos distritais ou unidades territoriais semelhantes ou não e mais um círculo nacional para os restos não utilizados na eleição de deputados nos restantes círculos .