terça-feira, 21 de junho de 2011

Comodam€nt€ ind€p€nd€nt€

Depois de, no Sábado passado, a Mesa Nacional do Bloco de Esquerda ter aprovado uma Resolução por uma maioria tão esmagadora que os votos contra (5) e as abstenções (1) não somaram sequer metade dos 15 correspondentes à representação das tendências ultra-minoritárias, ficou à vista de todos que o partido está unido em torno da sua liderança. Desta forma, afastada a imagem de partido dividido que foi difundida nos media durante toda a campanha eleitoral, sobressai o isolamento daquelas personalidades que colaboraram activamente na sua construção.


Rui Tavares, eurodeputado eleito pelas listas do Bloco de Esquerda (BE), anunciou hoje que se desvincula do grupo parlamentar do partido, mas mantém as suas funções como deputado independente no Parlamento Europeu, em Bruxelas. Estão mais do que respondidas as questões que há dias lhe coloquei e que, aqui, ainda não tinham merecido resposta.. Rui Tavares optou pela solução materialmente mais cómoda para si: manter-se no PE em auto-representação a receber o salário respectivo. Rui Tavares demite-se porque já não confia no líder do partido pelo qual se fez eleger, não o contrário. O paladino da união das esquerdas desune-se da sua. Esperava bem mais. Cada qual com as suas limitações. Vamo-nos conhecendo.

Sem comentários: