sexta-feira, 13 de maio de 2011

Sentido de Estado: uns têm-no, outros dizem-se


A propósito do conceito de sentido de Estado, uma expressão utilizada por tudo e por nada pelos partidos da nossa troika doméstica, registe-se como foi alguém tão distante politicamente de Cavaco Silva a defendê-lo. É que não foi a Cavaco Silva a quem o comissário finlandês faltou ao respeito. Não é preciso ser detentor de um sentido de Estado particularmente apurado para perceber que Foi ao Presidente da República Portuguesa. Mas aos três patriotas do tal sentido de Estado mais apurado da galáxia não lhes ouvimos uma palavra sequer. Quando algum eurocrata lhes levanta a voz, a sua reacção é invariavelmente aquele ajoelhar compulsivo de lacaio do império. Não abdicam daquela subserviência colonial, nem que, como neste episódio lamentável, o eurocrata trate a mais alta figura do Estado português como um qualquer labrego a quem se sinta no direito, que ninguém lhe deu, de repreender por ter falado com a boca cheia de bolo rei.


Sem comentários: