quinta-feira, 12 de maio de 2011

A reter: o PS tem uma agenda secreta para implmentar depois das eleições



Hoje, que era tão importante para o país saber-se como é que o homem se recompôs da surra de ontem, fartei-me de fazer zapping pelos canais de tv e nada de jogging. Nem a RTP o transmitiu. Com um serviço público destes, depois queixem-se se acabarem a transmitir o jogging matinal do Ricardo Salgado ou do filho do Belmiro.

Uma descida da taxa social única (TSU) em quatro pontos percentuais, como propõe o PSD para cumprir o acordo com a troika [ou como o Governo propôs, por carta, ao FMI], beneficiará as grandes empresas. Em média, cada uma das 900 grandes empresas nacionais pouparia cerca de 590 mil euros, enquanto as mais de 300 mil pequenas empresas ficariam com menos de mil euros anuais. E os sectores beneficiados não serão os exportadores.


(post republicado em virtude do apagamento verificado na plataforma blogger)

4 comentários:

Anónimo disse...

Pois é, mas o "filho do Belmiro", Paulo Azevedo, já conseguiu pô-lo a linkar as "notícias" que lhe interessam a ele (adivinhe que tipo de empresas é que vão ser prejudicadas com as mexidas no IVA). Mas parabéns por emendar o "como propõe o PSD" da "notícia" original, que me parece representar a certidão de óbito do "Público" enquanto jornal de referência.

Filipe Tourais disse...

Mas o PSD é isso que defende. Veja aqui. O memorando para o PSD até peca por escasso.

Anónimo disse...

Mas faltou-me dizer: parabéns ao Louçã! Fez no debate o que mais ninguém foi ou será capaz de fazer. Se não fosse tão bem educado ainda seria melhor. E podia ter dado uma dica qualquer para nos divertirmos devidamente com a ironia que é um Prof. Catedrático a usar a fórmula "Eng. Sócrates" e ser tratado por "Francisco Louçã".

Anónimo disse...

De acordo, é isso que o PSD defende e (como muito bem refere mas não está na "notícia" original do "Público" que linka) o PS também!