quinta-feira, 26 de maio de 2011

Manobras de diversão (continuação): Passos "pró-vida"

Manual "como manter a campanha fora da discussão da calamidade que a inconsciência dos portugueses se prepara para legitimar pelo voto": puxar um tema fracturante que, embora já resolvido, possa diferenciar dois ou três partidos com o mesmo programa económico de austeridade socialmente selectiva.


Aplicação prática: O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, quer rever a lei do aborto e admite um novo referendo sobre a matéria. Em declarações ontem à Rádio Renascença, Passos Coelho lembra que sempre defendeu a legalização do aborto mas frisa que é preciso, passados quatro anos, ver o que correu bem e o que correu mal. (de manhã). Passos Coelho diz que rejeita apresentar propostas de alteração à lei do aborto (à tarde). À noite, se já não havia o mais ligeiro vestígio da lei da IVG, do descalabro que resultará do malfadado pacote da troika ainda havia menos.

Sem comentários: