sexta-feira, 20 de maio de 2011

Domingho há missa, Sexta há sondagem

Nova Sexta-feira, nova sondagem. E novamente a proposta de um Benfica-FC Porto, com um Sporting mais pequenino atrás da porta, prontinho para ajudar qualquer um dos seus “rivais” colegas de memorando. O resto é o resto. Não tem futebol. A sondagem que interessa é no dia 5 de Junho, mas a rapaziada vai treinando. E pagando sondagens, diz que resulta para ganhar adeptos e desencorajar resistências e apostas noutros futebóis..


Escrevo estas linhas antes da entrada para o relvado dos dois primeiros, que têm direito a mais 15 minutos de frente-a-frente que os demais. A esta hora e a este minuto, isto das sondagens tem a uma precisão ao pentelho, os garantes de novo agravamento da austeridade selectiva que acordaram implementar somam 82,6 por cento nas intenções de voto dos seleccionados para o apertão. Muitas linhas abaixo nas notícias sobre este espectáculo, as alternativas, que os voluntários atrás referidos rejeitam, somam 14,3 por cento. E continua a haver um grupo com 23,1 que está indeciso entre resistir ou oferecer-se ao sacrifício e outro com 17,5 que advoga não ter nada a ver com o assunto.


Bem sei que não tem nada, rigorosamente nada, nadinha que ver com o assunto acima, mas... Em 1998, no último estudo sobre literacia de adultos em que Portugal participou, 80 por cento dos avaliados não chegaram ao nível dois. Existem cinco. Considera-se que o limiar mínimo para a participação na sociedade e o desenvolvimento económico é o nível 3.


Bom, os candidatos a regente da colónia estão quase a entrar em campo. Vou ver como se combinam para mostrar que são diferentes.

Sem comentários: