quarta-feira, 18 de maio de 2011

Banco de Portugal deixa recado ao eleitorado da troika nacional

Este é um aperitivo para o poder absoluto que aí vem depois das eleições. Os bancos podem, a partir de hoje, agravar as taxas de juro e outros encargos dos empréstimos sempre que identifiquem "razão atendível" ou "variações de mercado" que o justifiquem, desde que cumpram um “código de boas práticas” da autoria do Banco de Portugal. Nestas “boas práticas”, já se vê, está incluída a liberalização da alteração unilateral dos spreads dos contratos de crédito. A autorização do abuso supra tem a mesma proveniência.


(editado)

Sem comentários: