segunda-feira, 11 de abril de 2011

Um minuto pelas vítimas da grande manjedoura

Começo a semana cheio de pena duns fornecedores do Estado e de empresas públicas que se queixam de receber tarde e a más horas. Primeiro, é uma trabalheira conseguir um “conhecimento” que informe que há negócio. Em seguida, há que conseguir alguém que mexa os pauzinhos para que não seja outra a empresa escolhida para o ajuste directo. Depois, é uma maçada fazer acrescentos ao preço de forma a precaver atrasos de 20 ou 30 anos no pagamento das facturas. Finalmente, é uma chatice quando não se recebe a menos de 30 dias. Há vidas bem duras.

(editado)

Sem comentários: