terça-feira, 12 de abril de 2011

O outro caminho

“O problema de liquidez dos últimos dias podia ter sido resolvido se a Caixa Geral de Depósitos tivesse pedido um empréstimo de urgência ao BCE, como antes fez a banca privada”. Mas agora, com o mal feito, Louçã propõe atacar as PPP, até porque elas representam hoje “um pacote do mesmo tamanho que o do FMI, quase 60 mil milhões de euros, mas para os próximos 40 anos e com juros maiores”. E cobrar impostos à banca, cujas dificuldades desvaloriza: “Se está descapitalizada é porque os seus accionistas distribuíram dividendos e não recapitalizaram a sua própria empresa, como deviam ter feito”.

1 comentário:

Hugo Fonseca disse...

As PPP's vao ser mais um sucesso quando o FMI chegar.

Ai e que os Alemães se vao recusar a financiar-nos e nos vao dizer para vender os aneis todos.

Este Governo devia lancar o livro:

"Como ter popularidade, ser um case study internacional a custa de manipulacao de racios e falir um pais, tudo em 5 anos"

Mas comeco a acreditar que Portugal nao merece melhor, este Governo fez o que fez e ainda tem 33% das intencoes de voto, ainda vai ganhar as eleicoes. Acredito que os portugueses se identificam com quem aldraba e por isso se reveem neste Governo.