quarta-feira, 20 de abril de 2011

Finalmente, a ERC dá sinais de vida

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) quer tempo de antena igual em debates e entrevista para todos os candidatos às legislativas de 5 de Junho, numa altura em que as televisões já acordaram debates apenas com os partidos com assento parlamentar. Nada mau. Sem dúvida alguma, é uma excelente notícia para a democracia. Mas o equilíbrio, ainda assim, fica bem longe de ser uma garantia.



Desde logo, a capacidade de atenção de quem assista a um telejornal não é constante. Vai decrescendo e, como sabemos, o alinhamento das reportagens tem sempre a mesma ordem: primeiro PS ou PSD, que beneficiam ainda da percepção de um grau de importância que está implícito, e só depois os outros, quase sempre com peças de duração inferior. Haveria que assegurar que a ordem não seja sempre a mesma e que os tempos das reportagens se equiparem.



Depois, temos os “auxiliares de digestão” das mensagens de cada candidatura. Refiro-me, obviamente, aos comentadores de serviço, quase todos homens da situação que ganham a vida vendendo opiniões formatadas com a ideologia dominante, encostando-se o mais possível ao poder e trabalhando em coro na descredibilização de qualquer alternativa que surja fora do tom. Para que houvesse mais equilíbrio, haveria também que contrariar esta realidade.


Para já, temos apenas que a ERC finalmente deu sinais de vida. Mas nada garante. É notar que nada é dito sobre o que acontecerá a quem não cumpra com a recomendação. É esperar para ver.

1 comentário:

Flávio Gonçalves disse...

Espero bem que multe as televisões como multaria qualquer semanário ou diário independente pela mais insignificante irregularidade.