sexta-feira, 8 de abril de 2011

Em vez de brincar "patrioticamente" aos mercados

“Neste momento, as três mais importantes agências de notação financeira (...) noticiam e divulgam, diariamente, classificações de ‘rating’ que, com manifesto exagero e sem bases rigorosamente objectivas, penalizam os interesses portugueses, estimulando uma subida constante dos juros da dívida soberana”. Daqui decorrem “comportamentos presumivelmente criminais”, indiciadores, nomeadamente, do crime de manipulação do mercado.



O alerta vem de quatro economistas - José Reis e José Manuel Pureza, da Universidade de Coimbra, e Manuela Silva e Manuel Brandão, do ISEG – que vão apresentar uma denúncia ao Procurador-geral da República (PGR), Pinto Monteiro, no início da próxima semana. Os alvos são a Moody’s, a Fitch e a Standard and Poor’s. (continuar a ler aqui)


2 comentários:

Fusível Ativo disse...

Já estava na altura da Europa fazer a sua própria agência de rating, mesmo que deixe os EUA muito chateados, digo eu.

Filipe Tourais disse...

Isso é o que eles dizem para desviar a questão. O problema não é a origem geográfica das agÊncias de rating e sim a lógica da sua existência. Veja, desde logo, que pertencem a grupos financeiros e, naturalmente, trabalham para eles. Depois o pressuposto "confiança dos mercados" é uma grande treta. Estes senhores deram nota máxima ao LB no dia antes de falir. A política que regresse mas é aos políticos e estes que sejam eleitos democraticamente em vez de andarmos para aqui governados por trapalhadas sujas de mercado.