quinta-feira, 28 de abril de 2011

Contos de embalar, Ano XXXVII

Dezenas de entidades públicas assinaram nos últimos anos contratos por ajuste directo no valor global de cerca de 800 mil euros com empresas que ainda não tinham sido constituídas, revela o novo serviço online Despesa Pública. Aqui está mais um exemplo para mostrar para que servem os cortes salariais na Administração Pública, o processo em curso de desmantelamento de serviços públicos e demais austeridade selectiva. De vez em quando, lá aparece alguém nomeado nos mesmos moldes que o são os inimputáveis a quem nunca são pedidas contas do que fazem a exigir a sua responsabilização, mas tudo se fica por aí. É apenas a aflição pré-eleitoral a produzir contos de embalar. Resultam, há 37 anos. Não há sucessão de histórias cabeludas de má gestão e negócios ruinosos, com ou sem cheiro a corrupção, que não se apague com meia dúzia de lérias e duas semanas de bandeirinhas e concertos do Toni Carreira.

Sem comentários: