terça-feira, 26 de abril de 2011

Concordo

Passos Coelho, a propósito dos PEC I, II e III, que aprovou conjuntamente com o PS, e dos V, VI e seguintes, a aprovar pela mesma união de facto: a ideia de “fabricar em Portugal uma espécie de União Nacional é uma perversão”, mais ainda quando invocada no 25 de Abril. Eu concordo. Sócrates, não. Dá--lhe, dá-lhes, deu-lhes jeito.

Sem comentários: