quarta-feira, 27 de abril de 2011

Se os votos se comprassem

Olhando para os orçamentos de campanha, o PS e o PSD serão os que gastam mais e o Bloco e o CDS os que gastam menos. O PS gastará 2,2 milhões na campanha eleitoral, 3,14 vezes mais do que o Bloco e o CDS (704 e 700 mil euros, respectivamente); o PSD gastará 1,9 milhões, 2,71 vezes mais do que cada um dos dois que gastam menos; e a CDU gastará 995 mil euros, 1,42 vezes o orçamento de campanha do Bloco e do CDS. Se o resultado eleitoral de cada partido fosse proporcional ao orçamento de campanha, o PS ganharia com 33,8%, seguido do PSD (29,2%), CDU (15,3%), Bloco de Esquerda (10,83%) e CDS (10,77%). A coligação FMI obteria 73,8 por cento do total. Se os votos se comprassem, o futuro estaria arrumado.

2 comentários:

Cravo disse...

E não se compram? Sem dinheiro ninguém consegue fazer circo. E sem circo não se conseguem votos. Todos são palhaços e cada um desempenha o seu papel. O circo está montado e os resultados eleitorais não vão fugir muito a esses números.
Na realidade este país sempre foi e sempre será um circo. Quando faltou o dinheiro do comércio de especiarias, do ouro do Brasil ou de fundos da CE, a bancarrota sempre foi o nosso destino. Aqui nunca se fez nada de jeito. Até o 25 de Abril que muito se apregoa como uma revolução do povo não passou de uma revolta dos militares de patentes mais baixas, fartos de serem enviados para o ultramar. O povo só saiu à rua quando a coisa já estava consumada, para ver o circo. O povo português é um povo de merda, e eu como português não tenho problema nenhum em assumi-lo. A minha única dúvida é se o problema ´tem a ver com herança genética ou com herança cultural, ou ambas. Mas pouco importa quem cagou, o cheiro reconhece-se em qualquer lugar.

Filipe Tourais disse...

Se o meu amigo vir bem, actualmente, a solução universal é a mesma em todo o mundo. Neoliberalismo. O cheiro abafa o planeta. Somos apenas mais uns.