sexta-feira, 25 de março de 2011

Um dia com muitos sorrisos e algumas trombas

A semana termina com um dia feliz nas escolas públicas portuguesas. No Parlamento, punha-se um fim a uma aberração. O sistema de avaliação de desempenho dos professores foi revogado. Comentaram comigo que, entre os sorrisos, viam-se “trombas”. Também nas escolas o socratismo foi capaz de fomentar os piores instintos e despertar o pidezeco que havia adormecido dentro de alguns. Aqueles que facilmente cederam aos apetites da ambição pessoal, os yes men and women e os lambe-botas não sorriam. Sentiam os poderzinhos que lhes foram dados pelo sistema a fugir-lhes da mão. E os olhares dos colegas que ficaram a saber quem eles são. Há sempre disto, assim reine a prepotência ou o totalitarismo. Às vezes esquece-se, outras, não. A maioria saberá recordar quem sempre foi contra o sistema hoje revogado e como se portou o PSD até saberem que há eleições para breve. Como diz um dos poucos adágios da minha predilecção, “quem queira ver o vilão, ponha-lhe o pau na mão”. Acrescentar-lhe-ia apenas um “ou fiquem quietinhos e deixem que outros lho ofereçam”.

Sem comentários: