terça-feira, 22 de março de 2011

Os problemas matam-se à nascença

Os dados recolhidos em qualquer recenseamento da população são o instrumento mais relevante para a concepção de políticas públicas capazes de corrigir realidades indesejáveis. Não parece ser o caso dos falsos recibos verdes. Alda de Caetano Carvalho, Presidente do INE, argumenta que "os Censos não foram considerados a sede adequada" para conhecer o número de falsos recibos verdes no país. Problemas inexistentes não se corrigem, simplesmente não existem. Pensar que o analfabetismo podia ter sido varrido da realidade portuguesa há décadas. Bastaria eliminar a resposta na pergunta respectiva e obrigar todos os analfabetos a mentir sobre a sua situação. Andamos há décadas a desperdiçar milhões em campanhas de alfabetização completamente desnecessárias.

Sem comentários: