quarta-feira, 30 de março de 2011

Coligação "negativa"

A comissão parlamentar de saúde aprovou, com os votos favoráveis de toda a oposição, a recolocação do preço de venda ao público nas embalagens dos medicamentos.

2 comentários:

Daniel Santos disse...

esta oposição anda atrevidota.

reembolsos sns disse...

Era uma autentica confusão:

Para ver a evolução no custo dos medicamentos para o idoso do Regime Especial (RT) com mais de 65 anos (condição para atribuição do CSI e acesso ao BAS) acompanhei os preços do "Daflon 500" pelo qual, em 4 Abril/10 ele pagava 12,33 euros num PVP de 17,62 e a comparticipação do Estado em 5,29 euros.

Em Setembro/10 pagava 12,45 com a comparticipação do Estado de 5,34 euros mas em Dezembro já pagava 11,70 euros com a comparticipação do Estado em 5,02 euros.

A 5 de Janeiro o custo mantinha-se mas no mesmo mês (dia 28) já pagava a totalidade de 17,79 euros sem qualquer comparticipação.

E enquanto em 24 de Março, o adquiria a 17,28 euros a pagar na totalidade, numa outra farmácia, um outro doente a 1 de Março ainda o adquiria a 16,72 euros embora ambos tenham perdido o direito à comparticipação adicional de 50%, pelos BAS, desde que o medicamento deixou de ter a comparticipação do Estado.

Curioso é o caso de um terceiro doente que, também em Março, num só recibo pagava 16,72 por uma embalagem e 17,28 por outra, ambas sem o preço afixado nas caixas do medicamento mas qualquer uma delas sem a comparticipação adicional em 50% o que prova que os portugueses mais carenciados são dos mais prejudicados com a politica do medicamento desta Ministra da Saúde!