quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

De capital em capital


Mais de 20.000 pessoas protestaram ontem em várias cidades do Egipto, num "dia da ira" contra a pobreza e a repressão do regime do Presidente Hosni Mubarak, há três décadas no poder, inspiradas pela "revolução dos jasmins" que, na semana passada, fez cair o chefe de Estado na Tunísia, outra ditadura “amiga” elogiada pelo Ocidente. A chama da democracia anda a circular de capital em capital pelo islão. Tal como a França, que ofereceu ajuda ao ditador deposto na Tunísia, Hillary Clinton utiliza aquela expressão que tanto sucesso costuma fazer por cá para manifestar o seu apoio ao ditador amigo dos seus amigos israelitas: o Governo egípcio é “estável”. E, do lado da mesma estabilidade, em representação de todos os portugueses, José Sócrates receberá amanhã o líder da extrema-direita israelita. Cada capital escolhe o seu lugar na História.

Sem comentários: