quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Portugal a saque


Francisco Louçã, no facebook:


«Já o tenho dito, repito: os bancos portugueses que exigem cortes de salários e de abonos de família, e que aplaudem o acordo entre o PS e PSD para o orçamento, fazem parte dos corsários que estão a comprar a dívida pública nacional com juros de mais de 7%. Ontem, compraram mais de 350 milhões em títulos.


Isto é, como juro de 7%, por cada milhão que o BPI, BES, BCP ou outros investem em títulos da dívida portuguesa, exigem o pagamento de 2 milhões dentro de dez anos. Ficamos a pagar impostos para garantir esta renda.


Compreende-se porque querem o aumento dos impostos. "Fizemos tudo bem", dizia Ricardo Salgado, do BES, a propósito do acordo orçamental que patrocinou. Tudo bem feito. Pagamos o dobro do que nos emprestam.


A especulação não é só criada pelos fundos de capitais alemães ou chineses. A especulação mora num balcão de um banco perto de si.»

4 comentários:

asmo lündgren syaliot disse...

a especulação

especula com indigentes....admirável

e os dois milhões....

é 7% no 10ºano

não é 70% nos 10 anos
há uma diferença

não é muita claro

Filipe Tourais disse...

Tem a certeza? Não estamos a falar dos novos títulos do tesouro que vieram substituir os certificados de aforro.

Kapitão Kaus disse...

São 7% ao ano, sim.
Em 10 anos, são 70%, claro!

Só não compro porque não tenho guita e temo poder vir a incorrer em perdas, se isto estoirar. É que esse risco é bem real. Basta ver como se tem comportado o mercado secundário das obrigações da República Portuguesa...

Miguel disse...

Não sei como funcionam estes empréstimos. Se o Estado tem de pagar no fim dos 10 anos, ou se vai pagando mensalmente uma prestação.
Se paga tudo no fim, com os juros dos 10 anos, são cerca de 1,967 milhões por cada milhão. Se for mensalmente, assim como um empréstimo prá casa será um pouco menos.E convém não esquecer que esse mesmo dinheiro é emprestado pelo Banco Central Europeu aos bancos portugueses com taxa de... 1%