quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Assim, não

Um golo aos 20 minutos, uma expulsão mesmo antes do intervalo e novo golo a abrir a segunda parte ditaram novo desaire encarnado na Liga dos Campeões. O Benfica esteve irreconhecível. Jesus esteve mal nas escolhas que fez para o meio campo no onze inicial. Inventou. Nem Gaitan, nem Aimar são flanqueadores. E Jesus colocou-os nos flancos. Resultado mais do que esperado: nem atacaram, nem defenderam. Andaram para ali. Gaitan acabou expulso. O intervalo também não serviu para nada. Jesus manteve a aberração táctica, agora amputada. E havia tanto a mudar. O segundo golo do Lyon não se fez esperar. Depois, foi o massacre. Valeu Roberto. Quem diria, logo ele. Juntamente com Coentrão foi o melhor benfiquista em campo.

Lyon, 2 – Benfica, 0

Schalke 04, 3 - Hapoel, 1

2 comentários:

Eduardo Miguel Pereira disse...

Completamente de acordo consigo, FT.
As escolhas de Jesus, e saliento acima de tudo a fratídica ideia de tirar Aimar do meio para o deslcar para a direita, foram a principal razão do insucesso do SLB.
Repare no nºde passes errados que o Javi Garcia fez, e isso aconteceu porque quando o rapaz levantava a cabeça e procurava o que até aqui é natural, ou seja, ter Aimar a quem dar a bola para se iniciar o ataque, ele simplesmente não estava lá.

Temos equipa para a Champs, não temos é treinador !

Cravo disse...

Realmente este ano é que a crise começa a sério. Este Papa não voltará a Portugal por muitos anos; a luta por um lugar no campeonato da Europa está difícil e corremos o risco de não dar uso à bandeira da selecção de futebol, aquela verde e vermelha; e o Benfica não ganha. A somar a todo este cenário de horror para o português em geral, ainda virão outras pequenas coisas como o OE 2010. Valha-nos ao menos a campanha eleitoral das presidenciais de Janeiro, para vibrarmos nos comícios e tainadas, e andarmos na rua a buzinar o carro.