quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Sem brilho

O Benfica defrontava um adversário em crise, actualmente em penúltimo lugar na Bundesliga, poderia ter alcançado a primeira vitória da sua História em território alemão. Mas nada disso. O Benfica até começou bem, mas assim que, primeiro, Carlos Martins passou a ter polícia e, depois, Coentrão deixou de beneficiar de ter como opositor directo um japonês que estava a ficar com os olhos redondos, a sucessão de passes errados ia convidando o adversário a crescer. Cresceu. E o Benfica minguou, principalmente depois das substituições. Se Cardozo e Saviola não tiveram uma noite inspirada, Salvio e Kardec foram duas nulidades em campo. Com naturalidade, à sucessão cada vez mais irritante de passes errados começaram a somar-se os erros defensivos dos quais resultaram os dois golos que fizeram a derrota desta noite. Foi muito pouco Benfica contra pouco Schalke 04. O resultado aceita-se. O Benfica não está bem.

Grupo B

Schalke 04, 2 – Benfica 0

Hapoel Tel-Aviv, 1 – Lyon, 3

Sem comentários: